A greve dos motoristas de matérias perigosas

O Governo decidiu estabelecer um limite máximo por cada viatura.
Em 310 postos, só vai ser possível abastecer 15 litros de gasóleo ou gasolina.
A crise energética que está a afectar o território nacional.

Levou o Ministério do Ambiente e da Transição Energética a
decretar medidas de racionamento ao abastecimento de combustíveis nos próximos dias.
Fonte do Ministério confirmou que o despacho emitido visa limitar a 15 litros o abastecimento.
Ou seja, se não conseguiu pôr gasóleo ou gasolina no seu veículo, nos próximos dias terá um limite.

Informa o gabinete de Matos Fernandes que foi criada uma Rede Estratégica de Postos de Abastecimento (REPA) que vai integrar 310 postos.
Estes ficam obrigados a reservar, para uso exclusivo das entidades prioritárias, pelo menos, uma unidade de abastecimento.

Na prática, são abrangidos cerca de 10% dos postos de abastecimento existentes em Portugal Continental, que totalizam 3.068,
segundo dados da Entidade Nacional para o Mercado de Combustíveis.

“Os postos de abastecimento pertencentes à REPA ficam obrigados a reservar, para uso exclusivo das entidades prioritárias,
uma quantidade de 10 mil litros de gasóleo, ou 20% da sua capacidade, quatro mil litros de gasolina e dois mil litros de GPL-auto”.

As entidades prioritárias são as Forças Armadas, as forças de segurança e os agentes de protecção civil,
os serviços de emergência médica e transporte de medicamentos, as entidades públicas ou privadas que prestam serviços públicos,
designadamente transporte colectivo de passageiros, recolha de resíduos urbana e limpeza urbana, serviços de água, energia e telecomunicações,
bem como entidades que asseguram o transporte de pessoas portadoras de deficiência.

Além destas, acrescenta o despacho, os postos de abastecimento REPA “participam no abastecimento do público em geral, sendo fixado em 15 litros
o volume máximo de gasolina ou gasóleo que pode ser fornecido a cada veículo automóvel”.

Para garantir o cumprimento do disposto no despacho do Ministério do Ambiente e da Administração Interna,
“os postos REPA podem requerer a presença de elementos das forças de segurança”.

Estes 310 postos beneficiam de prioridade de abastecimento face aos restantes postos, devendo, para o efeito,
promover-se o destacamento das forças de segurança necessárias para assegurar o seu abastecimento.

A greve dos motoristas de matérias perigosas, que começou às 00h00 de segunda-feira,
foi convocada pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP),
por tempo indeterminado, para reivindicar o reconhecimento da categoria profissional específica, tendo causado ruptura da oferta de combustíveis em todo o país.

Partilhe...
Share: